Nova edição de Arte no Tribunal destaca a exposição Aquarela, Pequenos Formatos

Nesta semana, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) lançou a 14ª edição do periódico virtual Arte no Tribunal. Desenvolvido pela Coordenadoria de Memória e Cultura (CULT), o periódico tem a finalidade de divulgar as obras e os artistas que compõem o acervo artístico da corte. Nesta edição, tem destaque a exposição coletiva Aquarela, Pequenos Formatos, realizada no Espaço Cultural STJ em 2018. Na ocasião, a mostra reuniu 29 pintores e mais de 100 obras de arte.

A obra destacada pela 14ª edição do periódico é uma coletânea de aquarelas botânicas com pequenas proporções, porém rica em técnicas e detalhamentos. A aquarela traz diversas cores, formatos, texturas e luminosidade, e é composta por 12 quadros, produzidos por 12 artistas plásticos: Helena Jansen, Lúcia Souza Bacelar, Silvia Silva de Anunciação, Valéria Campos Lindemann, Ana Paula de R. Peretti Giometti, Elaine Rodrigues de Oliveira, Selma Denise Bottini, Rogério Roseo, Alice A. Marques de Sá, Vânia de Sá, Vânia Chaves, Isabela Vitti e Naysa Godoy de Aquino. 

Os artistas que produziram a obra possuem idades, vivências e profissões variadas, o que traz um olhar singular para cada um dos quadros. 

A técnica da aquarela é uma arte dinâmica, que permite ao artista brincar com a delicadeza das transparências em contraste com a exuberância de cores e formatos. Assim, essa técnica possibilita diversas formas de produção e resultados inesperados – chamados de “acidentes”.

Para Isabela Vitti, uma das artistas participantes da obra em destaque, “o mais importante é descobrir como aproveitar os acidentes felizes e seguir o fluxo criativo”. Helena Jansen, curadora da exposição, promove uma reflexão para os expectadores: “Como não associar a forma com que lidamos com os acidentes, tão frequentes durante a pintura, com a superação de obstáculos outros, também tão costumeiros, na vida cotidiana?”.

Uso democrático do espaço da cidadania

O Espaço Cultural STJ, criado em 2001, já abrigou mais de 170 exposições temporárias. Ao longo de sua trajetória, tornou-se referência como ambiente inovador e amplamente visitado pelos servidores da corte e pelo público apreciador das artes visuais.

O acervo de obras de arte do Tribunal da Cidadania conta hoje com centenas de peças de renomados artistas das mais diversas regiões do Brasil e do exterior. A coleção é o resultado de doações dos artistas, em contrapartida ao uso da galeria, cujas exposições se realizam mediante processo seletivo regido por edital público. As obras doadas estão distribuídas nos ambientes de trabalho das diversas unidades do STJ, onde podem ser apreciadas por servidores e visitantes.

Generated by Feedzy